Revelação do Shaar HaEmêt

22/04/2014 12:54

REVELAÇÃO DO SHA'AR HAEMÊT:

YESHUA É YHWH!!!

 

Por Tsadok Ben Derech

 

Por volta de 100 DC, Mar Yosef, um ancião da Assembleia de Yerushalayim (Jerusalém), escreveu uma carta para a citada Assembleia, quando estava na Pérsia. Tal carta foi escrita em aramaico, sendo conhecida como “Sha'ar HaEmêt” (Portal da Verdade).

Já que Mar Yosef era netsari (nazareno), escreveu para comunidade de netsarim (nazarenos) a referida epístola com o objetivo de proteger os talmidim (discípulos) de falsos ensinos que estavam sendo difundidos por alguém intitulado de “o Sacerdote Mal”.

Escreveu Mar Yosef que os talmidim (discípulos) deveriam obedecer aos ensinos do “Mestre da Justiça”, ou seja, o novo líder dos netsarim (nazarenos) que assumiu a direção do grupo após a morte de Ya'akov HaTsadik (Tiago, o Justo), irmão de Yeshua HaMashiach, e que havia liderado os netsarim (nazarenos) após a execução do Mashiach.

Na epístola, Yosef afirma categoricamente que YHWH é UM, e que Yeshua HaMashiach é YHWH. Para tanto, Yosef chama o Mashiach de “MarYah Yeshua”, ou seja, YHWH YESHUA.

Este título (YHWH YESHUA) também aparece nas Escrituras, quando, na festa de Shavuot (Semanas/“Pentecostes”), Kefá (Pedro) concitou que os judeus se arrependessem de seus pecados e recebessem o perdão do ETERNO, “em nome de YHWH Yeshua”.

Texto da Peshitta em aramaico (At 2:21,36-38):

ונֵהוֵא כֻּל דּנֵקרֵא שׁמֵה דּמָריָא נִחֵא

שַׁרִירָאיִת הָכִיל נֵדַּע כֻּלֵה בֵּית אִיסרָיֵל דּמָריָא וַמשִׁיחָא עַבדֵּה אַלָהָא להָנָא יֵשׁוּע דַּאנתּוּן זקַפתּוּן

וכַד שׁמַעו הָלֵין אֵתגּנַחו בּלֵבּהוּן וֵאמַרו לשֵׁמעוּן וַלשַׁרכָּא דַּשׁלִיחֵא מָנָא נֵעבֵּד אַחַין

אָמַר להוּן שֵׁמעוּן תּוּבו וַעמַדו אנָשׁ אנָשׁ מֵנכוּן בַּשׁמֵה דּמָריָא יֵשׁוּע לשׁוּבקָן חטָהֵא דַּתקַבּלוּן מַוהַבתָּא דּרוּחָא דּקוּדשָׁא

 

Tradução:

“e acontecerá que todo aquele que invocar o nome de YHWH será salvo”.

(...)

“Saiba com certeza toda a casa de Yisra’el que YHWH fez deste Yeshua, a quem vocês executaram, Elohim e Mashiach (Messias).

E, ouvindo eles isto, foram tocados em seu coração, e perguntaram a Shim’on (Simão Pedro) e aos demais emissários (“apóstolos”): Que faremos, irmãos?

Shim’on (Simão Pedro) lhes respondeu: Arrependam-se e sejam imersos (“batizados”) cada um de vocês em nome de YHWH YESHUA para a remissão de seus pecados, a fim de receber o dom da Ruach HaKodesh (espírito de santidade ou Espírito Santo).”

 

Verifique no passuk (versículo) que Kefá atribui ao Messias um novo título: “YHWH YESHUA”. Este novo nome do ETERNO tem toda a coerência em relação ao Tanach (Primeiras Escrituras). Neste, o ETERNO recebeu vários nomes acoplados ao tetragrama, tais como YHWH ELOHIM, YHWH TS’VAOT, YHWH NISSI, YHWH SHALOM, YHWH YIRÉ, YHWH TSIDKENU, YHWH SHAMA, etc. Com a revelação do Mashiach, é acrescido um novo nome ao citado rol que indica a própria elohut (“divindade”) do Salvador: YHWH YESHUA!!!

Em outras palavras, Yeshua é YHWH que se manifestou em carne, ou seja, veio como homem, morreu e ressuscitou, e agora reina como YHWH, que é UM (echad), e não dois ou três.

O ensino de que Yeshua é YHWH é repetido nesta antiga carta em aramaico (Sha'ar HaEmêt/Portal da Verdade), escrita por Yosef. Inicia-se a epístola citando o “Shemá” e, posteriormente, explica que o fato de o ETERNO ser UM não impede que YHWH se manifeste de diversas formas: Pai, Filho ou Ruach HaKodesh.

Confira a epístola traduzida do aramaico com comentários pessoais em notas de rodapé:

Ouve, ó Yisra'el, MarYah[1] [YHWH] é o nosso Alaha[2] [Elohim]; MarYah [YHWH] é UM[3].

A palavra de MarYah [YHWH] veio a mim para que eu escreva para vocês, meus amados irmãos no deserto.

Fui informado sobre a sua situação dos falsos que seguem os ensinamentos de um Sacerdotal Mal[4]. Ele não pode fazer mal a vocês, pois vocês devem obedecer às palavras do Mestre da Justiça[5], o Tsadik [Justo][6] escolhido por Alaha [Elohim] para sentar-se no trono[7] de Ya'aqub [Ya'akov][8].

É necessário que o talmidim [discípulos] de Yeshua permaneçam firmes no Caminho[9], e nunca introduzam dúvidas em seus corações ou mentes, porque ouviram um relato falso de quem segue o Sacerdotal Mal.

Com confiança, os talmidim devem proclamar que a fé em Yeshua é verdadeira e perfeita, que Alaha [Elohim] o enviou ao mundo através de MarYah [YHWH] Yeshua; isto é o que Ya'aqub [Ya'akov] assegurou[10]. Portanto, os talmidim devem ser firmes na fé em Yeshua, que somente é encontrada na Assembleia de Yerushalayim, que pertence a Ele para sempre.

Este talmid [discípulo] deve declarar com ousadia e confiança todo dia este ensino[11]:

 

Eu declaro ser um servo de MarYah Alaha [YHWH Elohim].

Eu declaro ser aquele que adora o Um e o Único MarYah Alaha [YHWH Elohim], que é Yeshua HaMashiach.

Eu declaro ser aquele que guarda nossa sagrada fé contra qualquer ataque do inimigo.

Eu declaro minha intenção de ser firme na crença de que Alaha [Elohim] se faz conhecido através do Pai, do Filho e da Rucha D'Kudsha [Ruach HaKodesh], três aspectos de UMA Suprema Alahota [Elohut/Divindade].

Eu declaro minha crença no Filho de Alaha [Elohim], Yeshua HaMashiach, o Filho Único de Alaha [Elohim].

Eu declaro a minha crença na profecia de Moshé e na verdade da Torá dada por ele.

(…).

Escrito pela mão de YOSEF”.

 

Como visto acima, a declaração de que Yeshua é YHWH fazia parte da antiga profissão de fé dos netsarim (nazarenos), bem como a crença de que YHWH é UM, apenas 1 (uma) Pessoa, manifestando-se no mundo existente por meio de três emanações: Pai, Filho e Ruach HaKodesh.

 

 

 

 

 


[1] MarYah é uma expressão aramaica utilizada para substituir o sagrado tetragrama YHWH. Neste sentido, confira: Lexicon to the Syriac New Testament, William Jennings, Oxford University Press, 1926, páginas 130-131; e Compendious Syriac Dictionary, R. Payne Smith, Oxford University Press, 1902; Reprinted by Wipf and Stock Publishers, 1999, página 298.

[2] Alaha (aramaico) significa Elohim (hebraico).

[3] Devarim/Deuteronômio 6:4.

[4] A carta se vale de uma linguagem tipicamente essênia. Antes da vinda de Yeshua, os essênios haviam contendido contra alguém identificado como “Sacerdote Mal/Ímpio”. Então, a epístola ora em análise utiliza uma antiga nomenclatura bastante comum ao público essênio, obviamente se referindo a um novo personagem alcunhado de “Sacerdote Mal”.

[5] No passado, antes de Yeshua, os essênios foram liderados por alguém denominado “Mestre da Justiça”. Na carta em tela, o mesmo título é atribuído ao líder dos netsarim (nazarenos).

[6] Segundo Flávio Josefo, após a morte de Ya'akov (Tiago), irmão de Yeshua, assumiu a liderança dos nazarenos Shim'on (Simeão). Após o falecimento deste, a liderança recaiu sobre Tsadik. É possível que a carta esteja se referindo a este Tsadik, o novo líder dos netsarim. Veja a lista contendo o nome dos líderes nazarenos em “ História dos Hebreus”, Flávio Josefo, CPAD, página 78.

[7] Flávio Josefo também usa a palavra “trono” ao se referir à cadeira do líder dos netsarim/nazarenos (Ob.Cit., página 60).

[8] Ya'akov HaTsadik (Tiago, o Justo) foi irmão de Yeshua e o primeiro líder dos netsarim/nazarenos após a morte do Mashiach. É o autor da epístola dos Ketuvim Netsarim (Escritos Nazarenos/“Novo Testamento”) que leva o seu nome.

[9] Os talmidim (discípulos) de Yeshua eram tanto chamados de netsarim/nazarenos (At 24:5) como de o Caminho (At 9:2; 24:5,14 e 19:9,23).

[10] Yosef explica que o ensino de que “Yeshua é YHWH” provém das lições de Ya'akov HaTsadik (Tiago, o Justo), irmão de Yeshua.

[11] Trata-se de uma espécie de “Sidur”, cujas assertivas seriam repetidas diariamente pelos netsarim (nazarenos) em suas tefilot (orações).

 

Voltar