PARTES III e IV - YHWH É MARYAH. YESHUA É MARYAH, O SENHOR YHWH

21/08/2013 13:29

PARTES III e IV

YHWH É MARYAH

YESHUA É MARYAH, O SENHOR YHWH

 

Por Tsadok Ben Derech

 

 

III - YHWH É MARYAH

 

Quando o ETERNO se revelou a Moshé (Moisés) na sarça ardente, no capítulo 3 de Shemot (Êxodo), revelou-lhe Seu Nome:

Moshé [Moisés] disse a Elohim: ‘Quando eu aparecer diante do povo de Yisra’el e lhes disser: O Elohim de seus ancestrais enviou-me a vocês’; e eles me perguntarem: ‘Qual é o nome dele?’, o que eu lhes direi?’. Elohim disse a Moshé (Moisés): ‘Ehyeh Asher Ehyeh [Eu Sou/Serei o que Sou/Eu Serei]’ enviou-me a vocês’. Além disso, Elohim disse a Moshé [Moisés]: ‘Diga isto ao povo de Yisra’el:  יהוה [YHWH], o Elohim de seus pais, o Elohim de Avraham [Abraão], o Elohim de Yitz’chak [Isaque], e o Elohim de Ya’akov [Jacó], enviou-me a vocês’. Este é o meu nome para sempre; desejo ser lembrado dessa forma, geração após geração.” (Shemot/Êxodo 3:13-15).

 

O nome hebraico do ETERNO é יהוה, que transliterado para o português se torna YHWH. Este é o nome sagrado de Elohim e ninguém pode ser chamado de YHWH, exceto o próprio ETERNO.

Em aramaico, o tetragrama hebraico יהוה é chamado de מריא, cuja transliteração é MARYAH. Então, MARYAH (em aramaico) equivale a YHWH (em hebraico), conforme tabela abaixo:

 

NOME HEBRAICO

 

DO

 

ETERNO

 

NOME ARAMAICO

 

DO

 

ETERNO

 

יהוה

 

מריא

 

Transliterado para: YHWH

Transliterado para: MARYAH

 

Conclusão: YHWH = MARYAH.

 

De fato, o Tanach (Primeiras Escrituras) em aramaico substitui o tetragrama YHWH pela palavra MARYAH por quase sete mil vezes.

Literalmente, MARYAH significa “Senhor Yah”, lembrando-se que “Yah” é o nome abreviado do ETERNO em hebraico (יה), tal como aparece, por exemplo, no Salmo 118: 5,14,17,18 e 19 (em hebraico). Daí, MARYAH tem o sentido de “Senhor YHWH” (Aramaic English New Testament, Andrew Gabriel Roth, Netzari Press, 2011, pg. v).

Esta introdução se faz necessária para que o leitor tenha em mente que MARYAH é, em aramaico, sinônimo de YHWH, conceito vital para a compreensão de vários escritos da B’rit Chadashá que serão examinados adiante.

Toda a explanação ora gizada é comprovada pelos mais renomados Dicionários e Léxicos de Aramaico:

  מריאé a forma enfática usada para o sagrado nome hebraico יהוה (Lexicon to the Syriac New Testament, William Jennings, Oxford University Press, 1926, páginas 130-131).

 

מריא  é a forma usada somente para o SENHOR DEUS, e na Peshitta do Antigo Testamento representa o tetragrama [יהוה]. (Compendious Syriac Dictionary, R. Payne Smith, Oxford University Press, 1902; Reprinted by Wipf and Stock Publishers, 1999, página 298).

 

Até hoje, na liturgia da Igreja do Oriente, grupo religioso que preservou pelos últimos dois mil anos o Novo Testamento em aramaico, as orações são dirigidas a MARYAH (The Order of the Holy Qurbana for the Use of the Faithful, Abdiabne Publishers, 2001, p. 55).

Preclaro aramaicista, Andrew Gabriel Roth explica que MARYAH é usado em aramaico para substituir o tetragrama YHWH, enquanto a palavra MAR significa “Senhor”. Por conseguinte, uma autoridade humana, tal como um rei, por exemplo, poderia receber o título de MAR (Senhor), porém, MARYAH é usado exclusivamente para se referir ao ETERNO, já que denota o sagrado tetragrama. Cita-se o magistério de Roth:

“Ao longo de dois volumes deste trabalho, eu tenho repetido a afirmação de que o Tanach Peshitta [‘Antigo Testamento’ em aramaico]  e o Novo Testamento usam a expressão MarYah (מריא) não como um título ou a conjugação da palavra Mar (מר), que significa ‘Senhor’. Em vez disso, a palavra carrega o sagrado Nome, isto é, o ‘Tetragrama’; uma palavra composta de Mar e da forma abreviada de YHWH, que é Yah. Nesta forma, MarYah é usado apenas para substituir YHWH por quase 7.000 vezes no Tanach Peshitta. Além disso, o Novo Testamento Peshitta usa esta palavra [MarYah] todas as vezes em que a porção citada do Tanach contém YHWH, bem como a utiliza nas narrativas dos Evangelhos e nos demais escritos para claramente designar YHWH.” (Understanding why MarYah is the Aramaic Name for YHWH, Article, Andrew Gabriel Roth).

 

Em suma, ante todos os comentários bosquejados, conclui-se com absoluta certeza que:

1) no aramaico, o sagrado tetragrama YHWH (יהוה) é substituído pela palavra MARYAH (מריא);

2) MARYAH (aramaico) é sinônimo de YHWH (hebraico);

3) MARYAH significa “Senhor YHWH”, ou simplesmente “YHWH”;

4) no Tanach (Primeiras Escrituras) escrito em aramaico (Peshitta), usa-se MARYAH no lugar de YHWH quase 7.000 vezes;

5) na B’rit Chadashá (“Novo Testamento”) em aramaico, sempre que é citada uma passagem do Tanach contendo o tetragrama YHWH, também é usado o vocábulo MARYAH;

6) os autores da B’rit Chadashá Peshitta (“Novo Testamento” em aramaico) somente usaram a palavra MARYAH para se referir a YHWH.

Vistos estes conceitos propedêuticos, analisar-se-ão várias passagens da B’rit Chadashá Peshitta em que consta o vocábulo MARYAH.

Quando houver a tradução dos textos para a Língua Portuguesa, será usado YHWH no lugar de MARYAH, haja vista a sinonímia dos termos.

Será feita a tradução da maneira mais literal possível, fazendo-se os ajustes necessários ao vernáculo pátrio (ficarão entre colchetes as inserções que facilitam a leitura do texto).

 

IV - YESHUA É MARYAH, O SENHOR YHWH

 

Logo no início das bessorot (boas novas) de Lucas, o escritor narra o nascimento de Yeshua e relata que um anjo de Elohim apareceu a pastores que estavam no campo, à noite, declarando-lhes o anjo que o Mashiach (Messias) é YHWH:

Texto da Peshitta em aramaico (Lc 2:11):

    אֵתִילֵד לכוּן גֵּיר יַומָנָא פָּרוּקָא דּאִיתַוהי מָריָא משִׁיחָא בַּמדִינתֵּה דּדַוִיד

Tradução:

“Porque hoje nasceu para todos vocês o Salvador, que é YHWH, o Messias, na Cidade de David”.

 

Conforme se percebe, o anjo anunciou que o Messias seria o próprio YHWH, em carne. Para a mentalidade semita do primeiro século, que ansiava pela vinda do Mashiach, a encarnação de YHWH era esperada, uma vez que a manifestação em carne de YHWH possui previsão na Torá. Com efeito, YHWH apareceu a Avraham (Abraão) como homem, inclusive ceando com o patriarca (Bereshit/Gênesis 18). Ademais, o ETERNO havia dito que Ele mesmo seria transpassado (Zecharyah/Zacarias 12:10), o que se coaduna com a narrativa de Yeshayahu (Isaías) 53. Por tais razões, os pastores tiveram a certeza que o Messias é YHWH em carne!

  O shaliach Matityahu (Mateus) também afirmou categoricamente que o Messias é YHWH:

Texto da Peshitta em aramaico (Mt 22:42,43 e 45):

וֵאמַר מָנָא אָמרִין אנתּוּן עַל משִׁיחָא בַּר מַנוּ אָמרִין לֵה בַּר דַּוִיד

אָמַר להוּן וַאיכַּנָא דַּוִיד בּרוּח קָרֵא לֵה מָריָא אָמַר גֵּיר

אֵן הָכִיל דַּוִיד קָרֵא לֵה מָריָא אַיכַּנָא בּרֵה הוּ

Tradução:

“O que vocês podem dizer sobre o Messias? De quem ele é filho?” Responderam-lhe: ‘O filho de David’.

[Então, replicou Yeshua:] ‘Digam vocês como David pela Ruach (Espírito) o chama de YHWH, dizendo...

(...)

Se David o chama de YHWH, como ele é seu filho?’”.

 

Na passagem citada, Yeshua rebate o argumento dos p’rushim (fariseus) e afiança que David chamou o Messias de YHWH. Ora, se quem estava travando o diálogo era Yeshua HaMashiach, então, este atribuiu a si próprio o título de YHWH.

Durante o discurso de Kefá (Pedro) na festa de shavuot (“semanas”), popularmente conhecida como “pentecostes”, este concitou que os judeus se arrependessem de seus pecados e recebessem o perdão do ETERNO, “em nome de YHWH Yeshua”:

Texto da Peshitta em aramaico (At 2:21,36-38)

ונֵהוֵא כֻּל דּנֵקרֵא שׁמֵה דּמָריָא נִחֵא

שַׁרִירָאיִת הָכִיל נֵדַּע כֻּלֵה בֵּית אִיסרָיֵל דּמָריָא וַמשִׁיחָא עַבדֵּה אַלָהָא להָנָא יֵשׁוּע דַּאנתּוּן זקַפתּוּן

וכַד שׁמַעו הָלֵין אֵתגּנַחו בּלֵבּהוּן וֵאמַרו לשֵׁמעוּן וַלשַׁרכָּא דַּשׁלִיחֵא מָנָא נֵעבֵּד אַחַין

אָמַר להוּן שֵׁמעוּן תּוּבו וַעמַדו אנָשׁ אנָשׁ מֵנכוּן בַּשׁמֵה דּמָריָא יֵשׁוּע לשׁוּבקָן חטָהֵא דַּתקַבּלוּן מַוהַבתָּא דּרוּחָא דּקוּדשָׁא

Tradução:

“e acontecerá que todo aquele que invocar o nome de YHWH será salvo”.

(...)

 “Saiba com certeza toda a casa de Yisra’el que YHWH fez deste Yeshua, a quem vocês executaram, Elohim e Mashiach (Messias).

E, ouvindo eles isto, foram tocados em seu coração, e perguntaram a Shim’on (Simão Pedro) e aos demais emissários (“apóstolos”): Que faremos, irmãos?

Shim’on (Simão Pedro) lhes respondeu: Arrependam-se e sejam imersos (“batizados”) cada um de vocês em nome de YHWH Yeshua para a remissão de seus pecados, a fim de receber o dom da Ruach HaKodesh (espírito de santidade ou Espírito Santo).”

 

Verifique no passuk (versículo) que Kefá atribui ao Messias um novo título: “YHWH YESHUA”. Este novo nome do ETERNO tem toda a coerência em relação ao Tanach (Primeiras Escrituras). Neste, o ETERNO recebeu vários nomes acoplados ao tetragrama, tais como YHWH ELOHIM, YHWH TS’VAOT, YHWH NISSI, YHWH SHALOM, YHWH YIRÉ, YHWH TSIDKENU, YHWH SHAMÁ, etc. Com a revelação do Mashiach, é acrescido um novo nome ao citado rol que indica a própria elohut (“divindade”) do Salvador: YHWH YESHUA. Em outras palavras, Yeshua é YHWH que se manifestou em carne, ou seja, veio como homem, morreu e ressuscitou, e agora reina como YHWH, que é UM (echad), e não dois ou três.

Em momento posterior, Kefá (Pedro) pregou para Cornélio e afirmou com todas as letras que Yeshua é YHWH sobre todos:

Texto da Peshitta em aramaico (At 10:36):

מֵלתָא גֵּיר דּשַׁדַּר לַבנַי אִיסרָיֵל וסַבַּר אֵנוּן שׁלָמָא ושַׁינָא בּיַד יֵשׁוּע משִׁיחָא הָנַו מָריָא דּכֻל

Tradução:

“A palavra que ele enviou aos filhos de Yisra’el para anunciar o shalom (paz) e a tranquilidade por Yeshua, o Messias: Ele é YHWH sobre todos!”

 

Ya’akov HaTsadik (Tiago, o Justo), irmão de Yeshua, escreveu sobre a segunda vinda do Mashiach, aconselhando que os judeus zelosos fossem pacientes e perseverassem na fé, sem desanimar (Ya’akov/Tiago 5:7-12). Basta ler o contexto integral da carta e o pano de fundo histórico para se constatar que Ya’akov está tratando sobre o retorno de Yeshua. E eis o que é dito sobre tal retorno:

Texto da Peshitta em aramaico (Tg 5:7):

אַנתּוּן דֵּין אַחַי אַגַּרו רוּחכוּן עדַמָא למֵאתִיתֵה דּמָריָא אַיכ אַכָּרָא דַּמסַכֵּא לפאִרֵא יַקִירֵא דַּארעֵה ומַגַּר רוּחֵה עלַיהוּן עדַמָא דּנָסֵב מֵטרָא בּכִירָיָא וַלקִישָׁיָא

Tradução:

“Portanto, irmãos, sejam pacientes em espírito até a vinda de YHWH...”.

 

Ora, quem é o Messias que retornará? Não há dúvidas de que é Yeshua. Entretanto, Ya’akov afiança que quem retornará é o próprio YHWH. Logo, Yeshua é YHWH.

Sha’ul (Paulo) também asseverou que um dia todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Yeshua é YHWH:

Texto em aramaico (Fp 2:11)

וכֻל לֵשָׁן נַודֵּא דּמָריָא הו יֵשׁוּע משִׁיחָא לשׁוּבחָא דַּאלָהָא אַבוּהי

Tradução:

“Toda língua confesse que YHWH é Yeshua HaMashiach, para glória de seu Pai Elohim”.

 

Analisemos o passuk (versículo) traduzido acima, cotejando-o com as Escrituras:

1) Sha’ul proclama que “YHWH é Yeshua” (Fp 2:11);

2) à luz do Tanach, o Pai é YHWH (Yeshayahu/Isaías 64:7, ou verso 8, nas versões cristãs);

3) ensina a Torá que YHWH é UM (Devarim/Deuteronômio 6:4).

Logo, considerando que as Escrituras sempre proclamam o monoteísmo (YHWH é UM), como conciliá-lo com a realidade de que o Pai é YHWH e Yeshua é YHWH? A resposta é assaz singela: o ETERNO é UM, mas pode se manifestar de diversas maneiras, tais como em uma coluna de fogo, em coluna de nuvem, por meio de uma brisa suave, por trovões etc, inclusive se manifestando como o Pai, o Filho (Yeshua) e a Ruach HaKodesh (espírito de santidade/“Espírito Santo”).

Lamentavelmente, muitas pessoas dizem algo que contraria as Escrituras: “o ETERNO não pode se manifestar como homem”. Ora, será que existe algo impossível para YHWH? Estes incautos querem limitar o poder do ETERNO afirmando que existem fatos que não estão ao alcance de YHWH, o que configura crasso erro.

O ETERNO é o Todo-Poderoso e se manifesta quando e da forma que quiser. A Torá narra que YHWH apareceu para Avraham (Abraão) como homem (Bereshit/Gênesis 18). Inclusive, YHWH pode se manifestar simultaneamente como o Pai e como o Filho. Quando Yeshua estava no madeiro, o céu não estava vazio, sem a presença de YHWH, visto que o ETERNO é onipresente. Ou seja, YHWH se manifestava como homem e como Pai simultaneamente. Quando Sha’ul (Paulo) fala do Pai e de Yeshua (ex: I Ts 1:1), não está falando de “dois deuses” ou de duas pessoas diferentes, como pensa a doutrina da Trindade, mas sim está se referindo a duas manifestações distintas do ETERNO, que é UM.

Nossa exposição é comprovada em Curintayah Álef/1ª Coríntios 8:6. Neste texto, Sha’ul (Paulo) deixa claro que YHWH é UM e que Yeshua é YHWH, ratificando a fé monoteísta apregoada pela Torá:

Texto em aramaico (I Co 8:6):

אֵלָא לַן דִּילַן חַד הוּ אַלָהָא אַבָא דּכֻל מֵנֵה וַחנַן בֵּה וחַד מָריָא יֵשׁוּע משִׁיחָא דּכֻל בּאִידֵה וָאפ חנַן בּאִידֵה

Tradução:

“todavia para nós há UM só Elohim, o Pai, de quem são todas as coisas, e nós estamos com Ele; e um só YHWH, Yeshua HaMashiach, de quem são todas as coisas, e com Ele nós estamos”.

 

Notemos o paralelismo de ideias na afirmativa de Sha’ul (Paulo): 1) primeiramente, afirma que Elohim, o Pai, é UM; 2) depois, afirma que Yeshua é YHWH. Ora, se sabemos que o Pai é YHWH, então, conclui-se que YHWH, o Pai, e YHWH Yeshua são UM, tal como afirmou Yeshua em Yochanan/João 10:30:

Eu e o Pai somos um (echad)”.

 

Também nos escritos de Yochanan (João) lemos que Filipe perguntou a Yeshua:

“Senhor, mostre-nos o Pai, e isso será o suficiente para nós.

Yeshua replicou: Tenho estado com vocês há tanto tempo sem que me conheçam, Filipe? Quem me viu, viu o Pai; por isso, como você pode dizer: Mostre-nos o Pai?”(Yochanan 14:8-9).

 

Yeshua, no diálogo acima, não disse que era um mensageiro do Pai, mas sim que quem o via estava a ver o próprio Pai. Insta repetir: Yeshua HaMashiach é a manifestação do ETERNO. Esta é a razão pela qual Sha’ul muitas vezes usa o título “YHWH, o Messias”, designando que YHWH é o Messias, e o Messias é YHWH. Não são dois, mas UM.

O mencionado título é registrado, por exemplo, em Colossayah/Colossenses 3:24:

Texto em aramaico:

ודַעו דּמֵן מָרַן מקַבּלִיתּוּן פּוּרעָנָא בּיָרתּוּתָא למָריָא גֵּיר משִׁיחָא פָּלחִיתּוּן

Tradução:

“Saibam que do Mestre vocês receberão a recompensa da herança, pois servem a YHWH, o Mashiach (Messias)”.

 

Em Curintayah Álef/1ª Coríntios, Sha’ul deixa claro que somente pela Ruach HaKodesh (espírito de santidade/“Espírito Santo”) o ser humano pode declarar que Yeshua é YHWH. Contrario sensu, quem não reconhece que YHWH é Yeshua não fala pela Ruach Hakodesh!!! Isto é de extrema relevância, visto que muitos grupos religiosos não reconhecem que Yeshua é o ETERNO. Logo, segundo as palavras de Sha’ul, estes não têm suas falas inspiradas pela Ruach Hakodesh:

Texto em aramaico de Curintayah Álef/1ª Coríntios 12:3:

מֵטֻל הָנָא מַודַּע אנָא לכוּן דּלַיתּ אנָשׁ דַּברוּחָא דַּאלָהָא ממַלֵל וָאמַר דַּחרֵם הוּ יֵשׁוּע וָאפלָא אנָשׁ מֵשׁכַּח למאִמַר דּמָריָא הוּ יֵשׁוּע אֵלָא אֵן בּרוּחָא דּקוּדשָׁא

Tradução:

“Portanto eu explico para vocês que não existe homem que fala pela Ruach Elohim (Espírito de Elohim), e diga: ‘Yeshua é amaldiçoado!’ E não há homem que possa dizer: ‘YHWH é Yeshua’, senão pela Ruach HaKodesh”.

 

Está patente na Mikrá (Escritura) que aqueles que reconhecem que YHWH é Yeshua são inspirados pela Ruach Hakodesh.

Já foi asseverado acima que Yeshua é YHWH manifesto em carne. Esta afirmativa é tão correta que Sha’ul chegou a dizer que com a morte do Mashiach (Messias) foi derramado o sangue do próprio ETERNO. Por tal motivo, quem come a matsá (pão ázimo) indignamente será culpado pelo corpo e pelo sangue de YHWH:

Texto em aramaico de Curintayah Álef/1ª Coríntios 11:27:

אַינָא הָכִיל דָּאכֵל מֵן לַחמֵה דּמָריָא ושָׁתֵא מֵן כָּסֵה ולָא שָׁוֵא לֵה מחַיַב הוּ לַדמֵה דּמָריָא וַלפַגרֵה

Tradução:

“De modo que qualquer que comer do pão ou beber do cálice de YHWH indignamente, será culpado do corpo e do sangue de YHWH”.

 

Sobre a manifestação do ETERNO em carne, além do famoso texto de Yochanan (João), capítulo 1, e dos versículos já citados, vale lembrar Ruhomayah/Romanos 9:5:

Texto em aramaico:

וַאבָהָתָא ומֵנהוּן אֵתחזִי משִׁיחָא בַּבסַר דּאִיתַוהי אַלָהָא דּעַל כֻּל דּלֵה תֵּשׁבּחָן ובוּרכָּן לעָלַם עָלמִין אַמִין

 “de quem são os patriarcas, e dentre os quais apareceu o Mashiach em carne; que é Elohim sobre todos; para o qual são todos os louvores e bênçãos, para toda a eternidade. Amen”.

 

Eis outra assertiva de Sha’ul acerca da elohut de Yeshua:

Texto em aramaico de Ruhomayah/Romanos 14:9:

מֵטֻל הָנָא אָפ משִׁיחָא מִית וַחיָא וקָם דּהוּ נֵהוֵא מָריָא למִיתֵא וַלחַיֵא

Tradução:

Porque foi para isto que o Mashiach morreu e se levantou para viver [ressuscitou], para ser YHWH tanto de mortos como de vivos.

 

É nítida como o cristal a mensagem transmitida no texto acima, qual seja, o Mashiach é YHWH que encarnou, morreu e ressuscitou e, agora, não deve ser tratado como homem, mas sim como o próprio ETERNO. A ideia de que o Mashiach é YHWH sempre esteve presente no Tanach (Primeiras Escrituras), pois o profeta Yeshayahu (Isaías) escreveu que o Mashiach seria “o Elohim Poderoso, Pai da Eternidade” (Is 9:5-6 ou, nas versões cristãs, 6-7).  Pois bem, se o Mashiach é o Pai da Eternidade, então, Yeshua não é uma outra pessoa, senão YHWH que se manifestou em carne.

Por este motivo Kefá sempre estabelece um paralelo entre o Mashiach Yeshua e o ETERNO, já que ambos são a mesma pessoa, o Senhor YHWH.

Sabe-se que o autor da vida foi YHWH (Bereshit/Gênesis 1 e 2), e Kefá chama expressamente Yeshua de “autor da vida” (Ma’assei Sh’lichim/Atos 3:15).

Kefá cita o profeta Yo’el (Joel) ao dizer que “todo que invocar o nome de YHWH será salvo” (Ma’assei Sh’lichim/Atos 2:21). Da mesma forma, Kefá fala que “não existe outro nome, debaixo do céu, dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”, que é o nome de Yeshua (Ma’assei Sh’lichim 4:11-12). Então, por que Kefá afirma primeiramente que a salvação vem pelo nome de YHWH e depois declara que a salvação vem pelo nome de Yeshua? Porque Yeshua é YHWH!

Sha’ul utiliza idêntico raciocínio. Escreve que “todo que invocar o nome de YHWH será salvo” (Ruhomayah/Romanos 10:13), e no mesmo contexto assinala que “se você reconhecer publicamente com sua boca que Yeshua é o Senhor e confiar de coração que Elohim o ressuscitou dentre os mortos, você será salvo” (Ruhomayah/Romanos 10:9).

Poucas pessoas se deram conta de que a mulher adúltera não foi apedrejada, consoante prescreve a Torá (Vayikrá/Levítico 20:10), porque recebeu o perdão de Yeshua: “nem eu a condeno; agora vá e não peque mais” (vide Yochanan/João 8:1-11). Mas como Yeshua pode perdoar pecados se este poder, segundo a Torá, pertence apenas ao ETERNO? (Shemot/Êxodo 34:7) A resposta é simples: Yeshua é YHWH.

Ao escrever o último livro das Escrituras, Yochanan (João) registra que YHWH é o álef e o tav (Guilyana/Apocalipse 1:8) e, posteriormente, Yeshua assevera que ele mesmo é o álef e o tav (Guilyana/Apocalipse 22:12 e 13), ou seja, Yeshua é YHWH. No mesmo sentido, o Tanach identifica YHWH como “o primeiro e o último” (Yeshayahu/Isaías 44:6), e Yeshua se autodeclara como “o primeiro e o último” (Guilyana/Apocalipse 22: 12 e 13).

Para findar quaisquer dúvidas existentes, Yochanan (João) chamou Yeshua de YHWH no final do livro de Guilyana:

Texto em aramaico de Guilyana/Apocalipse 22:20 (manuscrito Crawford):

אָמַר כַּד מסַהֵד הָלֵין אִין אָתֵא אנָא בַּעגַל תָּא מָריָא יֵשׁוּע

Tradução:

Aquele que testemunha estas coisas diz: “Sim, venho brevemente!”

Vem, YHWH YESHUA”.

 

Como se vê, o livro de Guilyana (Apocalipse) se encerra com Yochanan (João) declarando que Yeshua é o ETERNO. E assim termina a Bíblia.

 

Continua...

 

Voltar