PARTE X - SHA'UL E AS FESTAS BÍBLICAS

21/08/2013 12:50

PARTE X

SHA’UL E AS FESTAS BÍBLICAS

 

Por Tsadok Ben Derech

 

Muitos cristãos ensinam incorretamente que Sha’ul (Paulo) pregou contra a Torá e não a cumpria, o que é um absurdo, tendo em vista que Sha’ul afirmou expressamente que guardava a Torá (At 21:24, 25:8 e Rm 3:31). Logo, se as festas bíblicas são instituídas pela Torá, depreende-se com toda segurança que Sha’ul (Paulo) as celebrava, o que é ratificado pelas Escrituras.

Com efeito, Sha’ul estabelece uma série de admoestações acerca da festa de pessach (páscoa), que estava sendo celebrada incorretamente pelos habitantes de Corinto, muitos deles gentios que não estavam acostumados com a típica celebração judaica (Curintayah Álef/1ª Coríntios 11:17-34). Mister registrar que tal episódio refere-se à festa de pessach, em que há um seder (refeição/ceia) comunal, e não ao instituto cristão denominado “Ceia do Senhor”. Esta última não existe nas Escrituras e, como dito em outro estudo, tem origem no paganismo.

Além de pessach, vejamos outras passagens em que existe a referência de Sha’ul (Paulo) no contexto das festas bíblicas:

“E, depois dos dias da festa das matsot [pães ázimos], navegamos de Filipos, e em cinco dias fomos ter com eles a Trôade, onde estivemos sete dias.” (Ma’assei Sh’lichim/Atos 20:6).

“Porque já Sha’ul [Paulo] tinha determinado passar ao largo de Éfeso, para não gastar tempo na Ásia. Apressava-se, pois, para estar, se lhe fosse possível, em Yerushalayim [Jerusalém] no dia da festa de shavuot [semanas ou “pentecostes”].” (Ma’assei Sh’lichim/Atos 20:16).

“E, passado muito tempo, e sendo já perigosa a navegação, pois, também o Yom Kipur [dia da expiação, com jejum] já tinha passado, Sha’ul [Paulo] os admoestava.” (Ma’assei Sh’lichim/Atos 27:9).

“Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de hametz [fermento] faz levedar toda a massa?

Alimpai-vos, pois, do hametz [fermento] velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem hametz [fermento]. Porque o Mashiach [Messias], nosso pessach [páscoa], foi sacrificado por nós.

Por isso façamos a festa, não com o hametz [fermento] velho, nem com o hametz [fermento] da maldade e da malícia, mas com a matsá  [pão ázimo] da sinceridade e da verdade.” (Curintayah Álef/1ª Coríntios 5:6-8).

Ficarei, porém, em Éfeso até a festa de shavuot [semanas ou “pentecostes”].” (Curintayah Álef/1ª Coríntios 16:8).

 

Logo, percebe-se com toda a firmeza que Sha'ul (Paulo) celebrava as festas do ETERNO.

 

 

Voltar