Neriyah Arabov, mais um judeu ortodoxo que reconhece Yeshua como Mashiach

22/01/2016 12:14

Neriyah Arabov, mais um judeu ortodoxo 

reconhece que Yeshua é o Mashiach

 

Ele cresceu na antiga União Soviética, porém,  quando estava com 17 anos, fugiu do Uzbequistão com sua família judaica do regime comunista em ruínas na época, e imigrou para Israel.

"Quando vim pela primeira vez a Israel, eu me apaixonei pelo país", diz Neriyah Arabov. "A primeira coisa que tocou meu coração foi o incrível senso de patriotismo em todas as pessoas que eu conheci", disse ele em uma entrevista para o projeto "Chosen People" ("Povo Escolhido").

No começo, ele não compreendeu a razão pela qual sua família mudou-se para Israel. Mas, à medida que o plano de Elohim se desenvolveu em sua vida, ele começou a ver esta mudança como parte do propósito de Elohim para "restaurar o Seu povo".

Na antiga União Soviética, ele era o único estudante judeu em sua escola no Uzbequistão. "Meu nome Neriyah era claramente destoante entre os Mashas, Sashas e Pashas [nomes russos]. Eu também era diferente em muitos outros aspectos", conta ele.

"Minha pele era mais escura do que a de meus colegas de classe, e eu não tinha permissão para comer fora da minha casa, porque nossa família mantinha a cultura da alimentação kosher".

Neriyah conta que ele se alegrou com uma coisa depois da sua chegada a Israel: ele nunca mais seria chamado de "judeu sujo" por seus compatriotas. "Eu não seria mais perseguido por causa da minha raça e das minhas crenças".

Quando ele entrou para as Forças de Defesa de Israel, sua ligação com o povo de judeu se aprofundou. Depois que ele terminou seu serviço militar e encontrou trabalho em Tel Aviv, encontrou-se com um homem russo que compartilhou com ele a notícia surpreendente de que Yeshua é o Messias de Israel.

"Até aquele ponto da minha vida, eu me considerava um judeu ortodoxo", observa ele. "Mas eu estava curioso pois ele parecia saber mais do que eu sobre a Bíblia. Eu era religioso. Gostava de ir para sinagoga. Eu usava uma quipá, sabia todas as orações [judaicas], no entanto, em meu coração, eu ainda não acreditava que Elohim realmente existia".

"Em nossas conversas, no entanto, eu percebi que eu realmente não conhecia a Bíblia. Eu comecei a ler mais, para provar para o meu novo amigo que ele estava enganado a respeito de Yeshua".

Mas quando Neriyah começou a ler a Bíblia, algo inesperado aconteceu. No Livro de Yeshayahu (Isaías), capítulo 53, ele leu algo que o impactou profundamente. "Ficou claro para mim, os profetas estavam falando sobre 'Yeshua', mas eu tinha medo de admitir isso."

Neriyah pensou que se ele seguisse Yeshua seria rejeitado por seus amigos judeus, da mesma forma que foi rejeitado na escola onde cresceu, no Uzbequistão.

Mas quanto mais ele lia a Palavra de Elohim, mais a sua resistência ao evangelho diminuía. "Quando li a Bíblia, meu coração se derreteu. Eu percebi que era um pecador, indigno da graça e da bondade de Elohim, e que era eu quem estava enganado, não meu amigo".

Um dia, enquanto lia a Bíblia, Neriyah pediu a Elohim para lhe mostrar a verdade sobre um assunto pessoal, que ele ainda não havia compartilhado com ninguém.

Ele ficou chocado quando Elohim respondeu sua oração. Ainda resistente, ele pensou que isto poderia ser uma coincidência.

Então Elohim respondeu a uma segunda oração e lhe revelou a verdade de novo sobre o assunto!

"Eu caí de joelhos e orei diretamente a Elohim pela primeira vez na minha vida. Eu disse: 'Elohim, perdoe-me por minha incredulidade. Eu quero ser teu. Tu és o meu Elohim".

Naquele momento, ele se entregou a Yeshua como seu Senhor e Salvador e nasceu de novo.

Ele ainda nutria alguma apreensão sobre seguir a Yeshua e se isso lhe traria sofrimento com uma discriminação semelhante ao que ele experimentou na União Soviética. Mas depois que ele orou a Elohim, confessando esse temor, o medo desapareceu.

Pouco tempo depois, ele se encontrou com um rabino tradicional e compartilhou seu testemunho. O rabino ouviu atentamente enquanto Neriyah falava sobre Yeshayahu (Isaías) 53 e Dani’el 9.

"O rabino não discutiu comigo. Ele só me perguntou quem eu era, onde eu morava, e que eram os meus parentes". Quando Neriyah partiu, o rabino chamou sua família para alertá-los sobre as 'novas crenças' de Neriyah.

Logo ele enfrentou o repúdio de seus tios e tias. "Como você pode fazer uma coisa dessas?", perguntaram. "Por que você acredita em Yeshua? A sinagoga não é boa o suficiente para você? O que você está procurando com os cristãos? Você deve antes de tudo aprender sobre sua própria fé. Por que você está entrando em algo que não é o judaísmo?".

"Todo mundo que me via, falava: Lá vai aquele idiota que acredita em Yeshua'. Comecei a orar a Elohim pela libertação da minha casa e da minha família daquela turbulência".

Pouco depois, o Dr. Mitch Glazer do Ministério "Chosen People" visitou Neriyah em Israel. Ele pediu ao recém-convertido que se mudasse para os EUA e participasse do programa de uma faculdade bíblica, e Neriyah concordou.

"Os Estados Unidos tornaram-se um local confortável para mim. Eu queria ficar longe dos conflitos que a vida em Israel pode trazer", confessou.

Em 2001 Neriyah estava terminando seus estudos, mas precisava conseguir uma série de documentos e se submeter a exames finais. "Nesta pressão eu comecei a sentir dores de cabeça muito graves e eu tomava muitos comprimidos analgésicos. Acabei sendo internado em um hospital. O médico me disse que meus rins estavam em apuros".

Quando Neriyah tinha 14 anos, seu irmão de 26 anos de idade morreu de insuficiência renal, por isso, parecia haver uma predisposição para a doença renal em sua família.

Os médicos informaram-lhe que dentro de dois a cinco anos ele teria que se submeter a sessões de hemodiálise ou precisaria de um transplante de rim.

"Inicialmente eu não aceitei isso", confessou. Neriyah voltou a Israel para receber atendimento médico. Então conheceu uma mulher maravilhosa e eles se casaram em 2002, mas em 2004 precisou se submeter a sessões de hemodiálise.

Ele também se tornou um ancião em uma congregação messiânica. "A congregação cresceu enormemente, e eu orava continuamente pela cura do meu corpo".

Elohim ouviu sua oração e orquestrou o tipo de resposta que somente o ETERNO poderia trazer.

Uma mulher chamada Cynthia Barnett - até então desconhecida para Neriyah - estava orando em Monroe (Michigan / EUA), quando Yeshua teria lhe feito um pedido um tanto 'incomum'.

Eu escolhi você para doar parte do seu corpo para alguém que você não conhece. Vá para Israel e doe um de seus rins para Neriyah.

"Como posso fazer isso?", questionou a mulher. "Eu tenho 50 anos de idade. Tenho seis filhos".

"Eu não estou forçando você. Eu estou sugerindo a você", disse Yeshua, segundo ela relata.

Em obediência ao ETERNO, Barnett viajou para Israel, procurou por Neriyah e descobriu que seu rim era perfeito para o transplante... seria muito bem aceito pelo organismo dele. A operação foi um sucesso.

Um ano depois, em julho de 2005, a esposa de Neriyah, Anna, deu à luz uma linda menina. Eles deram ao bebê o nome de Cynthia - em homenagem à mulher que doou seu rim a Neriyah.

"Toda vez que apresentamos os meus filhos nos perguntam: 'Baruch e Sarah são nomes bíblicos, mas de onde surgiu a ideia do nome de Cynthia?'. Então eu sempre tenho a oportunidade de compartilhar sobre o milagre que Elohim fez na minha vida", contou ele.

Infelizmente, o rim doado por Barnett parou de funcionar em 2011. "Eu não lamento por isso", diz Neriyah. "Elohim realizou muitas coisas nesses seis anos maravilhosos".

Em 2012, Neriyah e sua esposa começaram uma nova congregação em sua vizinhança, em Israel. "Estamos servindo a nossa comunidade de muitas maneiras novas e maravilhosas. Nós distribuímos alimentos para famílias carentes. Fazemos passeios gratuitos aos locais sagrados, a fim de pregar o Evangelho. Estamos cuidando de sobreviventes do Holocausto em nossa cidade. Vemos os frutos do ministério de Elohim constantemente. Não muito tempo atrás, nós fizemos a imersão de sete pessoas, e atualmente estou discipulando outras quatro".

Neriyah está de volta às sessões de hemodiálise, três vezes por semana. "O fato de que Elohim me usa, apesar da minha debilidade física, é um tremendo milagre, e outro milagre está a caminho!".

"No ano passado, um pastor coreano de Nova Jersey chegou a Israel com o desejo de doar seu rim. Eu não estava pronto para submeter-me à cirurgia de transplante na época, mas hoje, se Elohim quiser, eu e ele seremos compatíveis. Seu nome é Leo Park. Por favor, orem para que a vontade de Elohim na minha vida e na dele seja feita. Em julho vamos saber definitivamente se o transplante pode ser feito. Obrigado pelas suas orações!", finalizou.

Voltar