Como Yeshua pode ser o Mashiach, se provém da descendência amaldiçoada de Yechonyah (Jeconias)? (Jr 22:24-30)

16/04/2016 16:34

 

Como Yeshua pode ser o Mashiach, se provém da descendência amaldiçoada de Yechonyah (Jeconias)? (Jr 22:24-30)

 

Por Tsadok Ben Derech

 

Consoante os registros dos Ketuvim Netsarim (Escritos Nazarenos), Yeshua descende de Yechonyah/Jeconias (Mt 1:11).

Por sua vez, Yechonyah/Jeconias, que é descendente do rei David (I Cr 3:17), recebeu a maldição de YHWH no sentido de que seus descendentes não sentariam no trono de David (Yirmeyahu/Jeremias 22:24-30). Por tal razão, alegam os antimissionários que Yeshua não é o Mashiach, pois este não pode advir de uma linhagem que recebeu a maldição de não herdar o trono messiânico.

Não obstante, temos os seguintes fatos:

- Yechonyah/Jeconias gerou Shealti’el/Sealtiel (I Cr 3:17);

- Shealti’el/Sealtiel gerou Pedayah/Pedaías (I Cr 3:18);

- Pedayah/Pedaías gerou Zerubavel/Zorobabel (I Cr 3:19).

Então, verifica-se claramente que Zerubavel/Zorobabel é descendente de Yechonyah/Jeconias, e sua maldição (Jr 22:24-30) foi ANULADA pelo próprio YHWH em Chagai/Ageu 2:23:

“Naquele dia, diz YHWH Tsevaot [‘YHWH dos Exércitos’], tomar-te-ei, ó Zerubavel, servo meu, filho de Shealti’el, diz YHWH, e te farei como um anel de selar; porque te escolhi, diz o YHWH Tsevaot [‘YHWH dos Exércitos’]”.

 

Neste diapasão, escreveu Rashi que Yechonyah (Jeconias) se arrependeu, e por isso nasceu posteriormente Zerubavel, seu descendente, que foi escolhido por YHWH para ser um anel de selar (Rashi sobre Chagai/Ageu 2:23). Em outras palavras, a maldição imposta sobre Jeconias foi desfeita por YHWH em razão de seu arrependimento.

Ante a dicção do verso supra citado (Ageu 2:23), percebe-se que o descendente de Zerubavel (Zorobabel) receberia o anel de selar de Rei, ou seja, assentar-se-ia no trono de David.

Ora, já que Yeshua é descendente de Zerubavel/Zorobabel (Matityahu/Mateus 1:13), conclui-se que pertence à linhagem messiânica escolhida por YHWH.

No sentido do que foi exposto, cita-se conceituada obra do Judaísmo Ortodoxo que, ao comentar o texto de Chagai/Ageu 2:23, leciona acerca da anulação pelo próprio YHWH da maldição proferida contra Jeconias, em razão de seu arrependimento, e que isto garantiu que de sua descendência proviesse o Mashiach:

“Embora Jeremias tenha profetizado que Coniah (Jeconias), filho de Yehoiakim, fosse condenado a não ter filhos (Jeremias 22:24,30), mesmo assim, através do arrependimento de Jeconias, Deus retratou-se de Seu voto e garantiu-lhe filhos. Seu grande neto foi Zerubavel, que se tornou como um anel de selar do Onipotente e conduziu o exílio babilônico de volta para Israel. De fato, é a partir desse verso que nossos sábios ensinam (Pesikta DeRav Kahana): ‘Grande é o arrependimento, pois este anula o voto’ (Rashi; Radak).

Outros veem este verso como uma profecia da redenção final. Naquela hora seu descendente será o Rei Messias, que governará sobre Minha nação e restabelecerá a dinastia davídica (Abarbanel; Metsudos).”

(Trei Asar, Volume II, 2009, ArtScroll Tanach Series, Editores: Rabbi Nosson Scherman e Rabbi Meir Zlotowitz, página 191).

  

Destarte, o Judaísmo Ortodoxo reconhece que da linhagem de Zerubavel, descendente de Yechonyah/Jeconias, viria o Rei Messias, e Yeshua provém claramente desta linha genealógica (Mt 1:11-12), o que faz cair por terra os frágeis argumentos dos antimissionários.

 

Voltar